Trabalhar como PJ: Pontos que você deve levar em contar antes de decidir

Exercer funções como pessoa jurídica pode trazer muitos benefícios para o trabalhador, mas também existe um outro viés a ser observado. Se você está pensando em se encaixar nesta modalidade de prestação de serviço, saiba a seguir o que você deve levar em conta antes de decidir ser um PJ no mercado de trabalho.

Muitas empresas preferem que o trabalhador exerça funções para ela sem estar assegurado pela CLT, assim ele ficará responsável pelos próprios benefícios que antes eram descontados do seu salário bruto.

Esta categoria que não tem vínculo com a CLT representa os trabalhadores que atuam como pessoa jurídica. Confira abaixo pontos que você deve avaliar antes de se tornar PJ.

Aposentadoria

Trabalhando de acordo com a CLT, o funcionário recebe descontos mensais no seu salário bruto aos benefícios que podem lhe assegurar, como por exemplo, a aposentadoria. Quando passa a ser PJ, o trabalhador fica responsável pelo pagamento da contribuição de acordo com a tabela de INSS 2019.

A diferença no valor do benefício pode ser grande, por isso o PJ deve ficar atento ao que já foi cumprido. É necessário visualizar a média de contribuição no Meu INSS 2019.

Imposto de renda

O imposto de renda é uma declaração anual que deve ser realizada pelos contribuintes. O IR se divide em imposto de renda para pessoa física e imposto de renda para pessoa jurídica.

O IR para pessoa jurídica deve ser cumprido da mesma forma e pode ser um pouco mais burocrático, por isso, os especialista de economia indicam a contratação de um contador para realizar a declaração do imposto de renda.

Remuneração

Em compensação aos contras, vale lembrar que o profissional que atua no mercado como PJ recebe cerca de 40% a mais do que o trabalhador que atua através da CLT.

A remuneração é estável, mas vale lembrar que o profissional será responsável pelo pagamento de alguns tributos mensais em relação ao seu salário atual.

Benefícios trabalhistas

Como você já pôde conferir, a pessoa jurídica tem direito a assistência mas não a aposentadoria sem ser por contribuição independente. Além disso, o PJ também fica sem acesso ao seguro desemprego.

O seguro desemprego, assim como o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e o décimo terceiro salário não podem ser acessados pelo PJ no momento de demissão. O que será pago é referente aos dias de serviço prestado e mesmo sem prestação de justa causa, este trabalhador não ficará coberto pela CLT.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *